sexta-feira, 28 de junho de 2013

ADVOGADO DE EMPRESA É AGREDIDO POR RECLAMANTE NA JUSTIÇA DO TRABALHO

Por conta do caso de violência ocorrido dia (27) pela manhã, a Comissão de Defesa de Direitos e Prerrogativas da OAB sugeriu que seja enviado ofício ao corregedor do TRT 8 solicitando a adoção de medidas quanto à segurança dos profissionais de advocacia nas dependências do referido tribunal, bem como ao secretário de Segurança Pública do Estado, Luiz Fernandes Rocha.
Após colher o depoimento do advogado André Vianna Araújo, o presidente da referida comissão, Leonardo Mota, repassou o caso à Comissão de Atividades Policiais da OAB, que acompanhará e dará prosseguimento ao episódio na Polícia Civil por meio de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). De acordo com Leonardo Mota, o TCO deverá ser enviado a uma das Varas do Juizado Especial Criminal de Belém.
Além disso, a Comissão de Defesa de Direitos e Prerrogativas da OAB, por meio de ofício, agradecerá pela conduta do juiz Julianes Chagas, da 3ª Vara do Trabalho de Belém, “que acolheu o advogado agredido em seu gabinete, determinou que fosse tomado o depoimento do profissional e juntou os autos para que fossem adotadas medidas superiores”, relatou Leonardo.

Agressão

O advogado André Vianna Araújo foi agredido na manhã de ontem (27), nas dependências do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, pelo reclamante de uma causa no qual o profissional está atuando. “Por ter se ausentado no momento que foi realizado o pregão, foi aplicada a confissão, o que deixou o reclamante extremamente aborrecido”, explicou o advogado.


Ainda segundo André Araújo, quando terminou a audiência, a preposta (cliente) e ele se retiraram da sala, ocasião na qual o reclamante agrediu uma cidadã que seria testemunha no caso, além de ameaçar novas intimidações. Mais tarde, o reclamante agrediu o advogado pelas costas, que conteve os ânimos do agressor até a chegada de seguranças.
Em seguida, o advogado registrou o caso de agressão na seccional do Comércio. “Eu espero que seja realizado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), para que o reclamante reconheça a gravidade do ato e perceba que não pode agir como bem entende, achando que o advogado ficará intimidado com ele. Espero que ele tenha a hombridade de se retratar”, declarou André Vianna Araújo.

Nenhum comentário: