domingo, 19 de agosto de 2012

Brasileiros são furtados em shoppings de Miami

Crimes também ocorrem em outlets
AFONSO BENITES
DE SÃO PAULO

A viagem que era para ser de diversão na Disney, em Orlando, e de compras em Miami, tem virado uma tremenda dor de cabeça para dezenas de turistas brasileiros.
Desde janeiro do ano passado, o Consulado do Brasil em Miami já registrou 173 casos de furtos a brasileiros. Cruzando as informações do consulado com as da polícia local, conclui-se que, entre janeiro e abril deste ano, os casos de brasileiros furtados representaram 5% do total de furtos na cidade de Miami.
Para efeito de comparação, na cidade de São Paulo, conforme a Delegacia de Atendimento aos Turistas, nenhuma nacionalidade representa nem 1% do total de furtos ocorridos na cidade.
Shoppings e outlets são os principais locais onde os ladrões têm agido nas duas cidades turísticas do Sul dos Estados Unidos. Os dois juntos são responsáveis por 65 dos 173 furtos no período.
"Já fiz essa viagem outras vezes e sempre me senti seguro. Nunca imaginei que seria assaltado lá", afirma o empresário Fábio Franco, 50.
Ele teve uma bolsa com seu equipamento fotográfico e documentos levados de dentro do carro alugado que estava estacionado numa loja.
A médica Patrícia Gullo, 41, foi outra vítima. "Estava em uma loja da Nike com meu filho e meu marido quando uma mulher me distraiu e uma pessoa levou minha bolsa que estava no carrinho."
A suspeita da polícia dos EUA é que os ladrões recebam informações sobre as vítimas de funcionários de hotéis, de agências de viagem e de locadoras de veículos.
O alto número de brasileiros que frequenta a Flórida, Estado onde estão as cidades de Miami e Orlando, também tem relação com a alta quantidade de vítimas. No último ano, conforme agências de viagens, cerca de 55 mil brasileiros viajaram para lá.
Segundo o Ministério das Relações Exteriores, o número de vítimas pode ser maior porque só registram as ocorrências as pessoas que tiveram documentos furtados.
"O problema é que nos EUA a vítima precisa participar do julgamento dos ladrões se eles forem presos, isso inibe os brasileiros de denunciarem", diz o deputado Padre Ton (PT-RO), vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.
Em outubro, a comissão deverá se reunir com representantes do governo americano para solicitar um atendimento diferenciado aos turistas brasileiros.

Nenhum comentário: