quinta-feira, 16 de junho de 2011

TST tem apenas 23% de processos com mais de dois anos

Apenas 23% dos processos em tramitação no TST ano passado estavam aguardando decisão há mais de dois anos, em relação ao total existente nos gabinetes dos ministros. O indicador, chamado de Índice de Processos Antigos Não Baixados, (IPANB), foi incluído na primeira revisão técnica do Plano Estratégico do Tribunal, realizada recentemente. O programa, atualmente em fase de execução, teve início em janeiro de 2010, com período de vigência até o final de 2014, e tem como objetivo a elaboração, implementação e o controle do Plano Estratégico do Tribunal. Quanto ao IPANB, a meta estabelecida é zerar o índice em 2014. 
Entre os índices apurados que merecem destaque, está o tempo médio de tramitação de cada processo no TST em 2010, desde seu recebimento até a devolução ao tribunal de origem ou arquivamento, que foi de um ano e nove meses. O chamado Índice de Tempo Médio de Tramitação (ITMT) dos processos no Tribunal no ano passado foi de 663,02 dias, número que superou não apenas a meta que havia sido fixada para 2010 (755,94 dias), como também a estabelecida para 2012, que é de 682,23 dias. Ainda ano passado, cada servidor do TST lotado em gabinete de ministro contribuiu para o julgamento de 233.57 processos. O Índice de Julgados por Força de Trabalho (IJFT) do Tribunal ficou muito acima da média nacional, que foi de 153,65 processos por servidor de gabinete. Quanto à redução do consumo de insumos como papel, água e energia elétrica, os resultados também foram positivos. Em 2010, foram usadas pelo Tribunal 20.152 resmas de papel, quando a meta estabelecida era de 21.388. Foram consumidos, no mesmo ano, 13,09 metros cúbicos de água por colaborador do TST (magistrados, servidores, terceirizados e estagiários). A meta estabelecida para o período era de 16,49 metros cúbicos. Já o consumo de energia foi de 2.279 kwh de energia por ano por colaborador, quando a meta era de 2.452 kwh/colaborador. Até 2014, o Tribunal tem por meta diminuir o consumo de resmas de papel para 16.414, o de água para 12,07 m³ por colaborador e o de energia elétrica, para 2,101 kwh/colaborador. 

Revisão
Durante a revisão do Plano Estratégico do TST, realizada pela Comissão Permanente de Planejamento Estratégico, foi analisado o primeiro ano de execução da estratégia, a partir dos resultados dos indicadores em 2010, e decidido quanto à manutenção ou adequação das metas anteriormente fixadas, alteração da metodologia de cálculo, exclusão e inclusão de indicadores. Após passar pela Comissão, a revisão deverá ser aprovada pelo Órgão Especial.

(Marta Crisóstomo) Esta matéria tem caráter informativo, sem cunho oficial. Permitida a reprodução mediante citação da fonte Secretaria de Comunicação Social do Tribunal Superior do Trabalho

Um comentário:

Anônimo disse...

Eu tenho um processo que em

25/07/2011 Movimentação : Processo eletrônico iniciado .

E ATÉ HOJE 18 DE JUNHO DE 2013 não andou nem um milímetro continua na mesma:

Concluso ao Relator.

Não tenho culpa se os ministros mudam, aposentam, ficam interinos e os proessos não andam!!

Enquanto que outros agravos de intrumentos de 2013 já foram até julgados.

O meu já foi REdistribuido 3 vezes em 2 anos, PODE??????????

Dizem que depende da matéria, não acredito, pois o meu caso é extremamente simples.