sábado, 18 de dezembro de 2010

CONSTRUIR PONTES

O Tribunal Superior do Trabalho acaba de encerrar a sessão do Pleno, convocada para eleger a nova Direção. O resultado foi anunciado pelo presidente do TST, ministro Milton de Moura França: foram eleitos, em votação secreta, os ministros João Oreste Dalazen (Presidência), Carlos Alberto Reis de Paula (Vice-Presidência) e Antônio José de Barros Levenhagen(Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho). 

Após agradecer pela escolha, o ministro João Oreste Dalazen ressaltou que valoriza a primazia do trabalho como centro permanente de suas preocupações, e lembrou que sua origem humilde o levou para o encaminhamento aos estudos, “pois compreendi que só com os estudos poderia ascender socialmente de forma legítima e honesta”. Em relação à sua condução à Presidência do TST, ele destacou que este constitui o seu maior desafio pessoal e profissional, face à responsabilidade em dar continuidade aos esforços valorosos aos presidentes que o antecederam e em continuar contribuindo para o bom desenvolvimento da atividade-fim da Justiça do Trabalho. 

Manifestando-se disposto a “construir pontes entre pessoas, entre magistrados e entre instituições”, o ministro Dalazen afirmou que seu propósito é desenvolver uma administração compartilhada e envolvente, aberta ao diálogo com todos, aberta a críticas construtivas. “Contarei com a inestimável colaboração de todos os ministros e ministras, assim como dos servidores e diretores e todos os integrantes da JT, para que possamos desenvolver trabalho profícuo e eficiente sempre tendo presente que toda a nossa atuação tem por fim o homem, os anseios da sociedade por uma justiça célere e eficiente. 

O ministro Carlos Alberto, eleito vice-presidente, também agradeceu pelos votos de seus pares, e afirmou que o ministro João Oreste Dalazen terá o seu apoio e solidariedade. “Se ele quer construir pontes, uma das vigas das pontes será a minha pessoa”, ressaltou. 

Já o ministro Barros Levenhagen, após agradecer os votos que o elegeram corregedor-geral da Justiça do Trabalho, registrou que se empenhará como o intuito de aprimorar a Corregedoria-Geral, especialmente quanto ao seu caráter pedagógico. 

Nenhum comentário: