sexta-feira, 5 de novembro de 2010

NASCI PARA VOAR - MINHA PAIXÃO PELA AVIAÇÃO

Definitivamente adoro viajar.
Desde bem novo meu fascínio pela aviação, por aviões e pelos tripulantes sempre fizeram bater mais forte meu coração.
Cansei de ir ao aeroporto de Belém apenas apreciar a chegada e saída de aeronaves.
Minha primeira viagem, salvo memória, foi a São Paulo, pela empresa Cruzeiro do Sul em um Boeing 727-200 quando tinha doze anos.
Confesso: o que mais me fascina em viajar é escolher os voos, os horários, as escalas, as conexões e o tipo de aeronave, gosto muito de todos esses preparativos.
Salvo raras viagens para participar de congressos, onde o pacote é fechado, costumo nas demais montar todo o roteiro, os hotéis, enfim, porto-me como se fosse um agente de viagem.
Em cada etapa ao chegar ao aeroporto observo e aprecio cada momento, a forma de atendimento, as filas, os procedimentos, o embarque, as informações e instruções dos comissários, dos pilotos.
Tudo para mim é uma maravilha, a saída da aeronave, o procedimento de decolagem, o recolhimento do trem de pouso, o ajuste dos flaps, o nivelamento do avião, as informações do comandante, de igual forma o procedimento de descida é fascinante.
Mesmo em viagens internacionais, onde raramente consigo dormir, tudo observo e anoto em minha memória afetiva.
Como advogado, tive raros contatos com o ramo da aviação, mas agora como magistrado, em que pese não ser frequente, nada me afasta de um processo que envolva aeroviários ou aeronautas.
Curto cada detalhe da instrução processual, converso com os envolvidos, trocamos ideias e os advogados, tanto dos reclamantes como das empresas já sabem desse meu fascínio e me abastecem generosamente em sala de audiência com mais detalhes.
Sou daqueles que escreve cartas, manda mensagens eletrônicas e liga às companhias, sugerindo, elogiando, criticando, parece que sou um executivo da área.
Em cada viagem que faço, tento fotografar tudo, o interior das aeronaves, a tripulação e quando chego em um aeroporto bem movimentado, fico alucinado, tantas companhias novas, tantas aeronaves que tinha visto apenas em revistas e na internet.
Compro tudo que consigo: revistas, livros, maquetes de aviões, adesivos, fitas, vídeos, enfim, qualquer material que se relacione com o ramo e esteja em uma língua que possa entender.
Quando o avião atrasa, não me aborreço, aliás, às vezes, quando estou com tempo, torço que isso ocorra, adoro o procedimento de remarcação do bilhete, a acomodação em outro voo e quando a demora é tanta, que a companhia me aloja em um hotel, é felicidade suprema para mim.
Quando chego ao meu destino, meu pensamento é quando vou retornar ao avião para voltar a minha cidade e toda vez que chego a Belém, já ficou pensando na próxima viagem.
NOVO AVIÃO, NOVO AEROPORTO, NOVA EMOÇÃO, NOVA VIAGEM.
Atravessei sete montanhas para poder chegar, porque nasci, nasci para VOAR.

Nenhum comentário: