terça-feira, 11 de maio de 2010

Servidores do judiciário federal entram em greve

Em assembleia geral realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal dos Estados do Pará e Amapá (Sindjuf-PA/AP) ontem à tarde no TRT/8ª, os servidores deliberaram por deflagrar greve a partir do próximo dia 14, na base territorial do Pará e Amapá. O movimento será por tempo indeterminado até que seja aprovado no Congresso Nacional o PL 6613/2009, que institui o Plano de Carreira dos Servidores do Judiciário Federal.
“A percepção clara é que os companheiros estão preparados para a luta e prontos para sustentar o movimento por quantos dias forem preciso, até que o PL 6613/2009 seja efetivamente aprovado. Agora só há um remédio: a greve”, destacou Alice Romana, analista judiciária do TRT-8ª e coordenadora de comunicação do sindicato.
O PCS do Judiciário Federal encontra-se parado na Comissão de Trabalho da Câmara dos Deputados e o governo federal pressiona para que o projeto não seja aprovado. “Os entraves, que nos outros projetos costumavam acontecer somente na Comissão de Orçamento de Finanças, agora já se apresentam na primeira comissão que tramita”, destaca Ribamar França, analista do TRE e coordenador Geral do Sindjuf.
Os servidores lutam ainda para barrar o PLP 549, que altera a Lei de Responsabilidade Fiscal, originário do Senado e que tramita a passos acelerados na casa. “Além de engessar os investimentos do Estado, esse PL congela o salário de todos os servidores públicos federais até 2019”, alerta Alice Romana.
Servidores em todo o país estão atendendo ao chamado da federação da categoria (Fenajufe) e dos sindicatos e construindo a greve por tempo indeterminado para pressionar o Judiciário e o Executivo a fecharem um acordo. Em vários Estados, a greve iniciou desde o dia 3.

Nenhum comentário: