terça-feira, 2 de março de 2010

Mico estatal no TST

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) tem em mãos um verdadeiro mico: contratou o Serpro (Serviço de Processamentos de Dados), estatal ligada ao Ministério da Fazenda, em dezembro 2007, para desenvolver um sistema que unificasse diversos programas de informática para a implantação do processo eletrônico em toda a Justiça do Trabalho. Batizado de Suap, o sistema deveria ser concluído até junho deste ano. Até lá, a estatal receberia R$ 7,8 milhões, em três parcelas. Mas até hoje praticamente nada foi feito –- e o tribunal já analisa a possibilidade de denunciar o contrato e responsabilizar o Serpro, o que seria um fato inusitado na administração pública. O assunto foi discutido durante um encontro na semana passada entre presidentes e corregedores dos tribunais regionais e o presidente do TST, ministro Milton de Moura França, em Brasília.

Nenhum comentário: