sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Escola de Magistrados faz parceria com TV e Rádio Justiça

Com o objetivo de divulgar seu papel institucional, a Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento da Magistrados do Trabalho (Enamat) firmou parcerias com a Rádio Justiça e a TV Justiça para a veiculação de material referente a suas atividades.

O primeiro resultado dessas parcerias foi a criação de um spot institucional, com 30 segundos de duração, que vem sendo desde abril veiculado na Rádio Justiça. O convênio permite também a divulgação de matérias institucionais da Escola em todo o território nacional (a Rádio Justiça pode ser sintonizada em todo o País por meio de satélite, e ainda possui uma rede de emissoras coligadas que reproduzem a sua programação), e prevê ainda a ocupação de espaço na grade de programação da Rádio com entrevistas, aulas e outros materiais informativos e educativos produzidos pela Enamat.
A parceria com a TV Justiça segue as mesmas bases. Inicialmente, foi produzida uma peça institucional (chamada “interprograma”), com duração de cerca de um minuto, pela Assessoria de Comunicação Social do Tribunal Superior do Trabalho. Este interprograma será veiculado pela TV Justiça nos espaços existentes em sua programação (intervalos das sessões de julgamento, entre blocos de um programa ou entre programas). Posteriormente, a Escola fornecerá material jornalístico, entrevistas, aulas e palestras para programas específicos produzidos pela TV Justiça, como o Caderno D.
As peças institucionais destacam os principais aspectos da Enamat – como o pioneirismo na formação inicial de magistrados e a inovação no uso de técnicas de ensino -, a natureza de suas atividades e a parceria com outras instituições. O ponto principal, porém, é a importância da qualificação dos juízes do Trabalho em prol da cidadania – sintetizado no slogan “Enamat: onde a Justiça vai à escola”.
Para o diretor da Escola, ministro Barros Levenhagen, a divulgação institucional das atividades desenvolvidas é fundamental para que a sociedade seja esclarecida a respeito do esforço desenvolvido na formação e no aperfeiçoamento da magistratura trabalhista. “A qualificação e a capacitação profissional dos magistrados é tão importante que consta da própria Constituição Federal, por meio da Emenda Constitucional nº 45”, enfatiza. “É o Estado brasileiro investindo na formação do juiz brasileiro, e o curso de formação inicial, como etapa obrigatória anterior ao início da atividade judicante, é pioneiro entre as escolas da magistratura nacionais.”


Nenhum comentário: