segunda-feira, 4 de maio de 2009

Dia do Trabalho – Mensagem do Ministro Milton de Moura França

Manifestações do Primeiro de Maio de 1886

O Dia do Trabalho acontece este ano, em meio às preocupações com os efeitos da crise econômica internacional, cujos reflexos já são sentidos no Brasil e já atingem, particularmente, as relações de trabalho. Em momento como esse, por isso mesmo, deve a maturidade social fazer-se presente, para que possa, com serenidade e responsabilidade, enfrentá-las e delas extrair ensinamentos que permitam o nosso aprimoramento na condução das relações de trabalho. O trabalho é uma das principais – talvez a principal – fonte de reconhecimento e de participação social entre os homens. Uma organização social justa deve remunerar adequadamente o trabalhador, para dar-lhe não só condições dignas de sobrevivência, mas também para lhe assegurar que sua atuação tenha reflexos positivos para a coletividade. Num momento em que se constata que o emprego está ameaçado, é preciso procurar alternativas, ou soluções, que contemplem tanto a necessidade de preservação do salário, meio de subsistência do trabalhador, quanto a sua fonte geradora – a empresa. É preciso, pois, compatibilizar a lucratividade e a competitividade com a remuneração compatível com a dignidade do trabalhador. E, para isso, os atores sociais devem atuar em conjunto. Todos são co-responsáveis tanto pelo sucesso quanto por eventuais fracassos na busca de um modelo que ajude a superar esse momento difícil O Primeiro de Maio é, assim, um bom momento para reiterar a minha confiança na maturidade da classe trabalhadora e na sensibilidade da classe patronal, para que, juntas com o Executivo, o Legislativo e todos os demais segmentos da sociedade, possam encontrar o melhor caminho de composição de seus legítimos interesses.


Nenhum comentário: