terça-feira, 9 de dezembro de 2008

CNJ abre mutirões carcerários em Belém e Teresina


O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) abriu nesta terça-feira (09/12) os mutirões carcerários de Teresina (PI) e Belém (PA). Nos próximos dez dias, equipes de juízes, defensores e promotores públicos vão analisar a situação da execução das penas de presos provisórios e condenados nos dois estados. Os trabalhos estão sendo coordenados pelos juízes auxiliares da Presidência do CNJ, Erivaldo Ribeiro dos Santos e Paulo Tamburini.
No Piauí, o mutirão encontrará uma situação atípica, pois cerca de 80% dos presos são provisórios, percentual muito acima do registrado em todo o sistema carcerário nacional. De acordo com o juiz Erivaldo Ribeiro dos Santos, coordenador dos mutirões, 30 juízes vão trabalhar nos próximos dez dias na análise de aproximadamente 1 mil processos. Desta vez, em Teresina, serão realizadas instruções processuais penais durante o mutirão, com a realização de 50 audiências diárias.
Já no Pará, onde 9 mil presos encontram-se encarcerados, a expectativa é de que se encontre uma situação mais organizada na execução dos presos, apesar da população carcerária maior. O juiz Erivaldo Santos vai para Belém na próxima quinta-feira (11/12) para conduzir os trabalhos no local, enquanto o juiz Paulo Tamburini prosseguirá na coordenação dos trabalhos em Teresina.

MG/ SR
Agência CNJ de Notícias

Nenhum comentário: