sábado, 1 de novembro de 2008

Presidente da Gol fala sobre as mudanças da empresa


O presidente e fundador da Gol, Constantino de Oliveira Jr., conversou na semana passada com alguns jornalistas de turismo sobre as mudanças anunciadas pela empresa. Confira a entrevista que o site Panrotas fez com o presidente da companhia.
Panrotas - Todos estão dando ênfase à barrinha de cereal, que saiu do serviço de bordo da Gol e era emblemática da companhia....
Constantino Júnior - São ciclos. A barrinha encerrou seu ciclo, mas pode voltar. Agora estamos atendendo a um pleito do cliente. E também temos condição de fazer a troca de serviço de bordo, pois nossa logística de abastecimento mudou, temos mais volume de operações. Mas a saída da barrinha e a entrada de um serviço melhor não compromete a nossa filosofia de baixo custo. Os principais destaques das novidades mostradas hoje são a nova malha, mais abrangente e equilibrada, e as vantagens do Smiles.
PP - Que foram pedidos do público corporativo?
Sim. Estamos acabando com uma restrição que o cliente corporativo tinha, pois para ele é importante acumular milhas e ter outros serviços. Por outro lado, na outra ponta, temos o Voe Fácil, com parcelamento que facilita o acesso às viagens aéreas. Aqui todos podem voar é nosso slogan.
PP - E esses dois públicos convivem bem na mesma aeronave?
Eles se acomodam em vôos diferentes. O do Voe Fácil se adapta ao preço e não paga mais para voar às 8 da manhã. Nos vôos da Varig no internacional, é importante destacar a questão das duas classes, que pode parecer sutil, mas faz a diferença para o público corporativo. Paramos o vôo de Lima, pois fazia falta o serviço, popr exemplo.
PP - Buenos Aires não será mais operado pela Varig?
Vai. A rota será preferencialmente operada com aviões Varig, com as duas classes. Mas terá aviões Gol. Por isso não divulgamos junto com as outras (Santiago, Caracas e Bogotá), para não misturar. Mas a Varig continua em Buenos Aires.
A unificação da malha de Gol e Varig, com o desaparecimento da Varig no mercado doméstico (a não ser pelos aviões pintados com a logomarca da Varig, que ainda ficam voando por cerca de três anos) resultou em um maior número de vôos diários: 765 antes, com muitos vôos sobrepostos, e 794 agora, com, segundo o vice-presidente de Marketing e Serviços, Tarcísio Gargioni, mais abrangência e mais facilidades para os passageiros.
Esclareça a seguir as principais dúvidas da nova malha e dos novos serviços anunciados pela empresa:
Ponte Aérea
O novo serviço começa no dia 1º de novembro. Todos os aviões e vôos serão da Gol, com a mesma configuração de 184 assentos. No café da manhã, haverá itens como bagel, durante o dia sanduíches frios e a partir das 17h entra em ação o Bistrô da Ponte, com uma gastronomia em foco por dia e hambúrguer de picanha às sextas-feiras. Haverá vôos a cada meia hora.
Vôos Domésticos
Haverá serviço de bordo com snacks, como biscoitos e doces, e/ou sanduíches, dependendo da duração do vôo. As barras de cereais sumiram. “Saem de circulação agora, mas podem voltar. Estamos atendendo a um pedido do passageiro e é normal as empresas mudarem o serviço de bordo. Quando começamos, em 2001, nossa expectativa de mercado era 8% e hoje temos 40%. Nossos vôos variam de 40 minutos a quase quatro horas”, explica Gargioni. Várias cidades ganharam novas ligações, devido a uma maior distribuição de vôos antes operados por Varig e Gol. A partir do dia 19 toda operação doméstica é da Gol, com vôos identificados por G3.
Aeroportos
Por um período não definido, haverá check-ins das duas marcas, Gol e Varig, mas a tendência é que tudo se transforme em Gol. A antiga sede da Varig no Aeroporto de Congonhas ganhará a cor laranja e será identificada apenas como Gol. A equipe comercial, comandada por Eduardo Bernardes, já está lá, assim como outros departamentos. Até o fim do ano, toda a diretoria se muda e entrega o prédio da Vila Olímpia, se livrando, ainda, de um caro aluguel.
Low Cost / Low Fare
“Continuamos com nossa estrutura de low cost / low fare. Os fundamentos, como padronização de frotas, uso de tecnologia, sistema de distribuição via site, entre outros, continuam intactos. O serviço de bordo representa muito pouco dos custos e na média estamos gastamos o mesmo que antes, incluindo os gastos da Varig e excluindo a ponte aérea”, explica Tarcísio Gargioni.
Smiles
Serão contratados cerca de 450 funcionários e o Smiles deve virar uma unidade de negócio dentro da Gol, se auto-financiando. Os 115 parceiros do programa foram mantidos na extensão para os clientes da Gol. Esses funcionários, assim como os já existentes, serão contratados pela Gol, em um processo de internacionalização.
Demissões
Houve demissões por causa da unificação (por exemplo, com o fim dos vôos de longa distância, e 110 na manutenção), mas Gargioni diz que não há um número exato, porque ela é pulverizada e compensada por contratações como a do Smiles. O índice foi de um turn over normal, garante ele. A empresa tem 16 mil funcionários (antes da contratação para o Smiles).
Cerca de 130 funcionários de segurança de vôo e aeroportos também serão internalizados (deixam de ser terceirizados, como a empresa fez no ano passado com o call center). Fala-se em 500 demitidos por causa da integração, mas a Gol não confirma esse dado.
Frota
Continua a previsão de fechar o ano com 104 aeronaves (mais de 20 só da Varig). As pinturas com a marca Gol substituirão as da Varig, menos nos vôos que serão operados como Varig, incluindo uma nova classe de serviços, a Comfort. Esses destinos são Caracas, Santiago e Bogotá. Buenos Aires terá vôos da Varig preferencialmente, mas haverá também aviões Gol.
Comfort
A classe Comfort, exclusiva da Varig, terá assentos de classe econômica, mas cabine individual, serviço melhorado e garantia de assento do meio vazio. A adesão ao Smiles e a criação dessa nova classe são pedidos do público corporativo.
Site
A partir de 20 de outubro, o site da Gol estará vendendo toda a malha nova doméstica e internacional de curtas distâncias, com o sistema de remuneração às agências de 10% (via DU) mais 2% de incentivo, que já existe atualmente. Hoje ainda há a separação Varig e Gol e os vôos da Varig são vendidos no site da Varig e nos GDSs. Em 20 de outubro já não haverá mais vôos domésticos da Varig e todos serão transformados (com os ajustes) em G3.
Os vôos de Santiago, Caracas e Bogotá serão vendidos apenas nos GDSs e no site da Varig. A Gol deixará de pagar, a partir de então, os 5% de incentivo aos agentes de viagens para venda de Varig nos GDSs. Hoje, quem faz reservas no site da Gol para depois de 19 de outubro já vê as diferenças de malha.
ABAV 2008
O estande da Gol na Feira das Américas, que ocorre de 22 a 24 no Riocentro, terá exposição e degustação do novo serviço de bordo, e talvez o lançamento da plataforma que permitirá a venda do Voe Fácil aos agentes de viagens.
Fonte: Panrotas

Nenhum comentário: