sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Advogado é assassinado quando chegava em casa no Jurunas

O advogado José Francisco Vieira foi assassinado com tiros na cabeça e no tórax quando entrava no pátio de sua casa na manhã desta sexta-feira (7). A residência fica localizada na rua Fernando Guilhon, no bairro do Jurunas. Francisco era genro do dono de uma rede de supermercados na capital paraense.
Segundo o delegado Walter Rezende, responsável pelo caso, o advogado voltava de uma missa acompanhado de sua esposa. 'Quando o portão eletrônico ia fechar um bandido entrou e disparou os tiros. Ele fugiu em seguida. Fora da casa, outro o aguardava. Talvez um terceiro estivesse no carro usado para a fuga', explicou o delegado.
Testemunhas ouviram quatro disparos, mas a polícia afirma que somente dois atingiram a cabeça e o peito do advogado. A polícia ainda apura as causas do crime e não descarta a possibilidade de execução. Nada foi levado da residência. O local tinha câmeras de segurança, a ação dos criminoso foi toda gravada, mas em uma avaliação inicial a polícia não identificou os autores do crime. No momento do crime, duas crianças e a empregada dormiam na casa. O corpo já foi removido pelo Instituto Médico Legal. O velório deve acontecer na tarde de hoje. No sábado (8), a esposa da vítima deve prestar depoimento.
* Meus sinceros pêsames a família do advogado, profissional competente, educado, com quem tive oportunidade de fazer várias audiências.

Um comentário:

zahlouth disse...

A Polícia Civil prendeu, na tarde desta quarta-feira (12), duas pessoas acusadas de envolvimento na morte do advogado do Grupo Líder, José Francisco Vieira. Dois integrantes do bando ainda estão foragidos. Por enquanto, a polícia descarta a hipótese de execução.

A polícia divulgou as prisões durante uma coletiva de imprensa, hoje à tarde, na sede da Segup (Secretaria de Segurança Pública). O secretário de Segurança Pública, Geraldo Araújo, o delegado-geral, Justiniano Alves, e os delegados Walter Rezende, Paulo Tamer e Éder Mauro, falaram sobre o andamento das investigações. Segundo eles, os presos são: Válber Santana Muniz Franco e Diego Carvalho da Conceição, mais conhecido como 'Bisteca'. 'Eles foram identificados no domingo, mas só hoje conseguimos efetuar as prisões', explicou Rezende.

De acordo com a polícia, Válber tem uma ficha criminal extensa. Ele é acusado de homicídio, assalto e é foragido da Justiça. Diego também é acusado de assalto e estava sob liberdade condicional. Os dois acusados foram presos na rodovia Augusto Montenegro, no bairro do Tenoné. Diego é o único dos envolvidos que não aparece nas gravações das câmeras de segurança da casa da vítima. Segundo a polícia, ele estaria esperando o bando em um taxi, numa rua próxima ao local do crime.

Em depoimento informal ao delegado Rezende, Válber confessou a participação no assassinato. Os outros dois envolvidos no crime já foram identificados, segundo a polícia. São eles: Emerson Viana, conhecido como 'Cearazinho' e apontado como autor dos disparos que mataram José Francisco e Marcelo Rodrigues Santiago.

De acordo com o delegado Paulo Tamer, o inquérito sobre o caso já está 80% concluído. 'O crime é caracterizado como tentativa frustrada de assalto. O modo como a quadrilha opera não condiz com a hipótese de execução', explicou Tamer. Para ele, quem quer executar alguém não comete erros como os que a quadrilha cometeu. 'Quem efetuou o disparo foi o motorista, o que nunca acontece em casos de execução. O motorista fica sempre no carro, preparado para a fuga. Eles também não se preocuparam com as câmeras, e como dizemos na polícia, estavam de cara limpa', ressaltou o delegado.

O dono do veículo utilizado pela quadrilha também será investigado. A polícia quer saber se foi ele quem financiou a ação da quadrilha.

Fonte: ORM