quarta-feira, 28 de maio de 2008

SEM ACORDO - GREVE DOS RODOVIÁRIOS

Iniciou às 14h40, na sala de reuniões da presidência, a audiência de tentativa de conciliação marcada pela desembargadora federal do trabalho Francisca Oliveira Formigosa, Vice-Presidente e gestora do Projeto Conciliar do TRT8.
Com a presença dos representantes dos sindicatos patronais e dos trabalhadores das empresas de ônibus urbano de Belém e Ananindeua, a magistrada iniciou a reunião falando da importância do papel da conciliação na solução dos conflitos sociais.
A fim de evitar que a população seja penalizada pela falta de transporte coletivo, a desembargadora mediou a tentativa de acordo entre as partes. Em sua proposta foram apresentados os seguintes valores: Em Belém, o auxílio clínica passaria de R$80 mil para R$90mil, em Ananindeua subiria de R$16mil para R$30mil; o ticket alimentação ficaria em R$260 para ambos os municípios e o reajuste salarial alcançaria 8%, sendo 6% a partir de 1º maio, acrescido de 1% após 45 dias (15 de junho) e mais 1% após outros 45 dias (1º de agosto). A redução da jornada de trabalho, também solicitada pelo sindicato dos rodoviários, será discutida em dissídio coletivo.
A fim de levar a proposta da desembargadora aos demais empresários, a reunião foi suspensa por 30 minutos devendo retornar às 16h45.
O sindicato dos patronais trouxe uma contraproposta de reajuste de 5.9, de acordo com o INPC do período, para todas as solicitações dos trabalhadores.
A desembargadora Formigosa sugeriu que o aumento do ticket alimentação ficasse em R$250.
Após 7 horas de negociações, a tentativa de acordo entre empresários e trabalhadores do setor de transporte urbano de Belém e Ananindeua foi encerrada. Apesar das diversas propostas apresentadas pela desembargadora Francisca Oliveira Formigosa, Vice-Presidente e gestora do Projeto Conciliar do TRT8, as partes não fecharam um ponto em comum.
Iniciada às 14h35 de terça-feira e encerrada às 21h35, a reunião encerrou após a negativa dos representantes de ambas as categorias em aceitar a última proposta colocada em mesa pela desembargadora que foi o aumento de 7% nos salários e de R$250,00 de tiket alimentação, além de R$90 mil e R$24 mil de auxílio clínica para os sindicatos dos rodoviários de Belém e Ananindeua respectivamente.
Desta forma, a greve dos ônibus continua e as cláusulas pedidas pelo sindicato dos trabalhadores deverão ser decididas em dissídio coletivo.

Nenhum comentário: