domingo, 27 de abril de 2008

PASSOS DE TARTARUGA

Aposentada espera há 15 anos por indenização
O Liberal - Edição de 26/04/2008

Descaso
Ela já ganhou a ação nas três instâncias mas até hoje nunca viu a cor do dinheiro
Há quinze anos a aposentada Ana Maria Torres luta na justiça para receber uma indenização depois de ser atropelada por um ônibus da empresa Transbel Rio Ltda. Ela ganhou a ação em três instâncias mas até agora não recebeu nada pelos graves problemas físicos e psicológicos profundos que sofre até hoje depois do acidente. O motorista de um ônibus da liha Cremação avançou a calçada da avenida Alcindo Cacela perto da Conselheiro e passou duas vezes por cima das pernas dela. 'Ele só parou porque os passageiros gritaram, mas quando deu ré passou de novo por cima das minhas pernas e eu fiquei presa debaixo das rodas', contou. Dona Ana ficou 5 dias em coma, teve todos os músculos das pernas destruídos e os ossos quebrados em várias partes e alguns semidestruídos.
Dona Ana Torres passou 13 meses internada em Belém e Brasília, sofreu 21 cirurgias para enxerto das pernas e tentativa de correção das pernas e dos pés. Com dois filhos adolescentes, ela e a família sofreram muito para sobreviver. Depois da internação dona Ana ficou mais 6 anos e 4 meses em cadeira de rodas e, segundo diagnóstico de médicos, sem nenhuma chance de voltar a andar. Depois de uma gangrena e tratamento todo esse tempo para colocação de várias órteses, prótese, pinos de platina e uma bolsa de silicone para não perder a perna direita, ela consegue se locomover pouco e com muita dificuldade usando botas especiais e muletas para não cair. Todo o tratamento foi custeado pela famílai, que desde o ano passado esgotou os recursos para mandá-la até o Hospital Sarah Kubschek, em Brasília ou Salvador, e manter o tratamento.
Cansada de esperar e com vergonha de se expor, dona Ana não aguentou mais tanto silêncio e descaso da Justiça. 'Não entendo porque o processo não anda, já ganhei em três instâncias mas sempre há um impedimento para eu receber a indenização', reclama. Agora ela decidiu denunciar porque está preocupada com as informações sobre o dono da empresa, Manoel Pinto Rodrigues. Segundo ela, a empresa está sob intervenção e sendo administrada por funcionários para o pagamento de dívidas trabalhistas do empresário. Atualmente ele só teria uma pequena parte da sociedade da TransBel Rio e passou outros bens para os filhos. 'Ele não tem dinheiro para me indenizar mas envia dinheiro para Portugal', denuncia. Mesmo descrente, dona Ana Torres ainda mantêm um fio de esperança na justiça para receber o que tem direito, depois de perder a capacidade para trabalhar. Sofrendo de depressão e sem recursos para o tratamento, hoje ela é sustentada pelos filhos, que na época do acidente tinham apenas 14 e 15 anos e acabaram sendo criados por familiares e amigos.

Nenhum comentário: